notícias

  • Ana Carolina e Mart’nália em Niterói

    26/09/2017

    O Circuito Quatro Estações da Música está de volta com shows de duas grandes estrelas da música nacional: a sambista Mar’tnália, no dia 30 de setembro, às 18h, no Horto do Fonseca; e a cantora Ana Carolina, no dia 1º de outubro, às 20h, na orla de São Francisco.

    Filha do cantor e compositor Martinho da Vila, Mart’nália é apaixonada por músicas de todas as vertentes, desde a infância. A artista gravou seu primeiro LP em 1985 e, desde então, vem cantando samba, pop, rock, xote e outros ritmos, com uma discografia que conta com dez CDs e 4 DVDs lançados.

    No Horto do Fonseca, Mart’nália vai mostrar seu novo show “+ Misturado”, trazendo os principais sucessos da sua carreira, além de composições de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Djavan, Gilberto Gil e outros, convidando o público para cantar junto.

    Já Ana Carolina, considerada uma das maiores intérpretes do Brasil e conhecida pela técnica e potência de sua voz, traz para Niterói o show “Grandes Sucessos”, com os principais hits de seus mais de 15 anos de carreira.

    Sempre acompanhada do baterista e percussionista Leonardo Reis e do tecladista e programador Thiago Anthoni, o show conta com um conceito musical moderno utilizando de programações, percussões eletrônicas e samplers.

    Cantora, compositora, arranjadora, produtora, instrumentista e musicista, Ana Carolina já vendeu mais de cinco milhões de CDs e DVDs. Seu primeiro disco foi lançado em 1999 e, hoje, sua carreira já inclui 12 álbuns e seis DVDs. A cantora ganhou sete Prêmios Multishow de Música Brasileira, três vezes o Troféu Imprensa e uma vez o Prêmio TIM de Música. O primeiro grande sucesso, “Garganta”, viria já no primeiro álbum e, depois dele, Ana Carolina emplacou cerca de 30 singles nas paradas brasileiras.

    O shows, promovidos pela Prefeitura de Niterói, através da Coordenadoria de Eventos e da Secretaria Municipal de Cultura/FAN, com o patrocínio da Águas de Niterói, terão entrada franca. A organização do pede para que o público leve 1 kg de alimento não perecível. As doações serão distribuídas entre instituições da cidade.

    Músicos locais abrem os espetáculos

    Fundado em 2003 em Niterói, o grupo Novo Visual será o responsável por levantar o público antes de Martin´ália subir ao palco, no dia 30/09, no Horto do Fonseca. Com 13 anos de estrada, o grupo é formado por Pinguinho (banjo e vocal), Ruan (cavaco e vocal), Guilherme Sodré (violão) Sandro Souza (percussão), Vandinho (reco-reco) e Gabriel Lopes (pandeiro).

    O repertório traz composições do Fundo de Quintal, Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, passando por Revelação, Exaltasamba, Cassia Eller, Djavan, entre outros.

    Em São Francisco, no dia 1º de outubro, a abertura do show da cantora Ana Carolina vai ficar a cargo do pop rock, com arranjos especiais, do trio Grand Pop. Composto pelos músicos Greg Pinagé (voz e violão), Mariana Alho (voz e guitarra base) e Rafael Maiolino (guitarra solo), o grupo vai mostrar grooves dançantes que fizeram a glória de bandas nacionais e estrangeiras.

    O setlist terá temas como “Send my love”, “Closer”, “Pumped up kicks”, “As Dores do Mundo”, “Quero ser feliz”, “Scar tissue”, “Pescador de Ilusões”, “Can’t stop the feeling”, “Work”, “Happy”, entre muitos outros hits.

    Circuito coloca a cidade na rota dos grandes shows gratuitos

    Grandes nomes da Música Popular Brasileira se apresentando gratuitamente em espaços abertos a cada estação. Essa é a proposta do Circuito Quatro Estações, que desde de 2013 já contou com nomes de peso da música nacional. Gilberto Gil, Lenine, Geraldo Azevedo, Maria Rita, Caetano Veloso, Milton Nascimento, Leo Jaime, Dalto, Zé Ramalho, Martinho da Vila e Barão Vermelho já subiram ao palco do Circuito.

    E, assim como acontece nos grandes festivais, antes das grandes estrelas subirem ao palco, artistas e bandas da cidade abrem os shows principais diante de um grande público. Entre os artistas de Niterói que já abriram os shows estão: a banda Dizcoé, a Sinfônica Ambulante, a banda Manuela, o Bloco Patuá, a Banda Nayah, o grupo JPG, Bloody Mary, Saias na Folia, além da cantora Julia Vargas e do ator Juliano Antunes.


    NIT NEGÓCIOS
  • Versões de Mart'nália

    14/09/2017

    Mart'nália volta a Porto Alegre para apresentar ao público seu novo show, Misturado. O espetáculo acontece sábado, no Auditório Araújo Vianna (Osvaldo Aranha, 685), às 21h. As entradas custam entre R$ 50,00 e R$ 150,00 e podem ser adquiridas pelo site www.ingressorapido.com.br.

    O repertório é baseado no mais recente trabalho da artista, lançado em janeiro. Constam no programa músicas de compositores como Caetano Veloso, Capinan, Geraldo Azevedo, Gilberto Gil, Zé Ricardo, Lupicinio Rodrigues e Zélia Duncan.

    No show, a cantora toca cavaco, violão e guitarra. Para acompanhá-la, também sobem ao palco os músicos Humberto Mirabelli (violão, guitarra e vocal), Kiko Horta (teclado e sanfona), Rodrigo Villa (contrabaixo), Macaco Branco (percussão), Theo Zagrae (bateria) e Analimar Ventapane (vocal).


    Jornal do Comércio
  • Canto da Primavera terá show de Mart’nália

    13/09/2017

    O Canto da Primavera 2017 – Mostra de Música de Pirenópolis, traz o show da cantora Mart’nália no sábado, dia 6 de outubro, dentro da programação do segundo final de semana. O show +Misturado será no Cavalhódromo, com entrada gratuita, aberta ao público.

    O evento é promovido pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), em parceria com o Idesa. O Canto traz em sua programação shows de diversos estilos e oficinas de formação musical. O evento será em duas fases: de 27 de setembro a 1º de outubro e, na segunda fase, do dia 4 ao dia 8 de outubro. A data foi escolhida para homenagear a cidade de Pirenópolis, que completa 290 anos no dia 7 de outubro.

    Filha do cantor e compositor Martinho da Vila, Mart’nália samba desde que nasceu e se apaixonou por músicas de todas as vertentes. Gravou seu primeiro LP em 1985 e, desde então, vem cantando samba, pop, rock, xote e outros ritmos. A discografia, tem dez cds e quatro dvds lançados.

    O show +Misturado traz os principais sucessos da cantora, convidando o público para sambar e cantar junto. Ela também apresenta músicas de seu mais recente cd, lançado esse ano, que tem o mesmo título do show e traz composições de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Djavan, Gilberto Gil e outros.


    Diário do Estado
  • Canto da Primavera terá show de Mart’nália no dia 6

    13/09/2017

    O Canto da Primavera 2017 – Mostra de Música de Pirenópolis, traz o show da cantora Mart’nália no sábado, dia 6 de outubro, dentro da programação do segundo final de semana. O show +Misturado será no Cavalhódromo, com entrada gratuita, aberta ao público.

    O evento é promovido pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), em parceria com o Idesa. O Canto traz em sua programação shows de diversos estilos e oficinas de formação musical. O evento será em duas fases: de 27 de setembro a 1º de outubro e, na segunda fase, do dia 4 ao dia 8 de outubro. A data foi escolhida para homenagear a cidade de Pirenópolis, que completa 290 anos no dia 7 de outubro.

    Filha do cantor e compositor Martinho da Vila, Mart’nália samba desde que nasceu e se apaixonou por músicas de todas as vertentes. Gravou seu primeiro LP em 1985 e, desde então, vem cantando samba, pop, rock, xote e outros ritmos. A discografia, tem dez cds e quatro dvds lançados.

    O show +Misturado traz os principais sucessos da cantora, convidando o público para sambar e cantar junto. Ela também apresenta músicas de seu mais recente cd, lançado esse ano, que tem o mesmo título do show e traz composições de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Djavan, Gilberto Gil e outros.


    Rádio Bandeirantes 820
  • Canto da Primavera terá nova edição em Pirenópolis

    13/09/2017

    O Canto da Primavera 2017 – Mostra de Música de Pirenópolis irá apresentar o show da cantora Mart´nália no sábado, dia 6 de outubro, dentro da programação do seu segundo final de semana. O show +Misturado será no Cavalhódromo, com entrada gratuita e aberta a todos os públicos.

    O Canto trará em sua programação shows de diversos estilos e oficinas de formação musical. O evento será realizado em duas fases: De 27 de setembro a 1º de outubro e, na segunda fase, do dia 4 ao dia 8 de outubro. A data foi escolhida para homenagear a cidade de Pirenópolis, que completará 290 anos no dia 7 de outubro.

    O show +Misturado trar[a os principais sucesos da cantora, convidando o público para sambar e cantar junto. Ela também apresentará músicas de seu mais recente cd, lançado esse ano, que tem o mesmo título do show e traz composições de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Djavan, Gilberto Gil e outros.

    O evento será promovido pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), em parceria com o Idesa.


    Arroz de Fyesta
  • Canto da Primavera 2017 terá show de Mart'nália no dia 6 de outubro

    12/09/2017

    Goiânia - Com entrada gratuita, show da cantora Mart'nália integra a programação do segundo final de semana do Canto da Primavera 2017 – Mostra de Música de Pirenópolis. O show +Misturado será realizado no dia 6 de outubro no Cavalhódromo. O evento é promovido pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), em parceria com o Idesa.

    O Canto traz em sua programação shows de diversos estilos e oficinas de formação musical. O evento será realizado em duas fases: De 27 de setembro a 1º de outubro e, na segunda fase, do dia 4 ao dia 8 de outubro. A data foi escolhida para homenagear a cidade de Pirenópolis, que completa 290 anos no dia 7 de outubro.

    Filha do cantor e compositor Martinho da Vila, Mart'nália traz no how +Misturado os principais sucessos de sua carreira, convidando o público para sambar e cantar junto. Ela também apresenta músicas de seu mais recente CD, lançado esse ano, que tem o mesmo título do show e traz composições de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Djavan, Gilberto Gil e outros.


    A Redação
  • Cantora Mart’nália chega ao ‘Canto da Primavera 2017’

    12/09/2017

    O Canto da Primavera 2017 – Mostra de Música de Pirenópolis traz o show da cantora Mart’nália no sábado, dia 6 de outubro, dentro da programação do seu segundo final de semana. O show +Misturadoserá no Cavalhódromo, com entrada gratuita e aberta a todos os públicos.

    O evento é promovido pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esporte (Seduce), em parceria com o Idesa. O Canto traz em sua programação shows de diversos estilos e oficinas de formação musical. O evento será realizado em duas fases: de 27 de setembro a 1º de outubro e, na segunda fase, do dia 4 ao dia 8 de outubro. A data foi escolhida para homenagear a cidade de Pirenópolis, que completa 290 anos no dia 7 de outubro.

    Filha do cantor e compositor Martinho da Vila, Mart’nália samba desde que nasceu e se apaixonou por músicas de todas as vertentes. Gravou seu primeiro LP em 1985 e, desde então, vem cantando samba, pop, rock, xote e outros ritmos. Em sua discografia, tem dez CDs e 4 DVDs lançados.

    O show apresenta os principais sucessos da cantora, convidando o público para sambar e cantar junto. Ela também apresenta músicas de seu mais recente CD, lançado esse ano, que tem o mesmo título do show e traz composições de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Djavan, Gilberto Gil e outros.


    JORNAL CIDADE
  • Mart’nália é atração confirmada para o Canto da Primavera 2017

    12/09/2017

    O Festival Canto da Primavera 2017 – Mostra de Música de Pirenópolis apresenta a cantora Mart’nália como atração para o dia 06 de outubro, no segundo final de semana da programação. O show acontecerá no Cavalhódromo de Pirenópolis, com entrada gratuita e aberta a todos os públicos

    Em sua programação, O Canto traz shows de diversos estilos e oficinas de formação musical. O evento será realizado em duas fases: De 27 de setembro a 1º de outubro e, na segunda fase, do dia 4 ao dia 8 de outubro. A data foi escolhida para homenagear a cidade de Pirenópolis, que completa 290 anos no dia 7 de outubro.

    Filha do cantor e compositor Martinho da Vila, Mart´nália samba desde que nasceu e se apaixonou por músicas de todas as vertentes. Gravou seu primeiro LP em 1985 e, desde então, vem cantando samba, pop, rock, xote e outros ritmos. Em sua discografia, tem 10 cds e 4 dvds lançados.

    O show +Misturado traz os principais sucesos da cantora, convidando o público para sambar e cantar junto. Ela também apresenta músicas de seu mais recente cd, lançado esse ano, que tem o mesmo título do show e traz composições de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Djavan, Gilberto Gil e outros.


    Curta Mais
  • Canto da Primavera terá show de Mart’nália no dia 6

    12/09/2017

    O Canto da Primavera 2017 – Mostra de Música de Pirenópolis, traz o show da cantora Mart’nália no sábado, dia 6 de outubro, dentro da programação do segundo final de semana. O show +Misturado será no Cavalhódromo, com entrada gratuita, aberta ao público.

    O evento é promovido pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), em parceria com o Idesa. O Canto traz em sua programação shows de diversos estilos e oficinas de formação musical. O evento será em duas fases: de 27 de setembro a 1º de outubro e, na segunda fase, do dia 4 ao dia 8 de outubro. A data foi escolhida para homenagear a cidade de Pirenópolis, que completa 290 anos no dia 7 de outubro.

    Filha do cantor e compositor Martinho da Vila, Mart’nália samba desde que nasceu e se apaixonou por músicas de todas as vertentes. Gravou seu primeiro LP em 1985 e, desde então, vem cantando samba, pop, rock, xote e outros ritmos. A discografia, tem dez cds e quatro dvds lançados.

    O show +Misturado traz os principais sucessos da cantora, convidando o público para sambar e cantar junto. Ela também apresenta músicas de seu mais recente cd, lançado esse ano, que tem o mesmo título do show e traz composições de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Djavan, Gilberto Gil e outros.


    Goiás Agora
  • Mart’nália se apresenta no Canto da Primavera 2017

    12/09/2017

    O 18º Canto da Primavera, que será realizado em setembro e outubro na cidade de Pirenópolis, contará com a apresentação da cantora Mart’nália. O show +Misturado será no Cavalhódromo, no dia 6 de outubro. A entrada é gratuita.

    Mart’nália é filha do cantor e compositor Martinho da Vila e canta samba, pop, rock, xote e outros ritmos. O repertório da apresentação terá os principais sucessos da cantora e músicas do último CD lançado, com composições de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Djavan e Gilberto Gil.

    O Canto da Primavera 2017 será realizado entre os dias 27 de setembro e 1º de outubro e do dia 4 a 8 de outubro. De iniciativa do governo estadual, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), o evento traz diversos shows musicais e oficinas.


    Jornal Diário de Goiás
  • Mart´nália se apresenta em festival de Pirenópolis

    12/09/2017

    O festival “O Canto da Primavera 2017”, em Pirenópolis, terá Mart ´nália como uma de suas principais atrações. O show ocorre no sexta-feira, 6 de outubro, no Cavalhódromo, com entrada gratuita e aberta a todos os públicos.

    O evento, que é promovido pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), em parceria com o Idesa, traz em sua programação shows de diversos estilos e oficinas de formação musical.

    O evento vai do dia 27 de setembro ao dia 8 de outubro e será dividido em duas etapas. Na primeira semana os shows acústicos e na segunda os tradicionais.

    Devido às influências que recebeu desde criança, Mart´nália se apaixonou bem cedo pela música e todas as suas vertentes. Gravou seu primeiro LP em 1985 e, desde então, vem cantando samba, pop, rock, xote e outros ritmos

    O show +Misturado traz as principais faixas da cantora e músicas de seu novo CD, lançado esse ano e com composições de Caetano Veloso, Geraldo Azevedo, Djavan, Gilberto Gil e outros.


    O Popular
  • Gil chega ao palco e implode o que seria aqui uma crítica musical

    10/09/2017

    Eu levei algum tempo para perceber que não estava exatamente em um show. Digo em um show nos moldes de show, de artista no palco, público nas cadeiras, aplausos, tentativas de se justificar tais aplausos e alguma energia, em maior ou menor grau, conectando uns aos outros. Havia banda, diretor musical, cenário, iluminação, cantores e a expectativa de ver Gilberto Gil falar da força africana que há 40 anos soprou a existência de Refavela – tudo com a carga emocional que Gil tem trazido em quantidades cada vez maiores depois de o vermos saindo e voltando para quartos de hospital.

    A trilogia Re, de Refazenda, Refavela e Realce, é, para mim, a explicação da desafiadora personalidade criativa de Gil. O primeiro álbum, de 1975, segue por seu eixo sertanejo, o barro de Luiz Gonzaga moldado por Dominguinhos em Lamento Sertanejo e Tenho Sede, os frutos colhidos no Abacateiro e na oração de Retiros Espirituais. É meu Gil preferido. Dois anos depois, ele volta de uma viagem de mais de 30 dias à Nigéria com os tambores à flor da pele e reavalia a África que existe em si com Refavela, uma espantosa conversa com as criaturas que habitam os céus e os terreiros de sua alma. É o Gil mais baiano de todos. Mais dois anos à frente e o terço que faltava, do urbano e tecnológico, vem purpurinado em Realce e pronto para a alvorada de 1980. O tropicalista que uma década antes havia assustado o povo da MPB mostrando-se por inteiro repartia-se em três para explicar um Gil de cada vez.

    Gil em show na quinta, dia 9. Foto de Daniel Teixeira

    Achei que o encontro merecesse o olhar crítico e lá fui para o teatro com a alma endurecida pelo ofício. Até que Gil aparecesse, algo que demorou quase dois terços da noite, tudo parecia solto demais, doméstico demais, sem muito ritmo e de emoções pontuais. Uma banda grande montada por Bem Gil, filho e diretor musical, recebeu a pianista e cantora Maira Freitas, filha de Martinho da Vila, o cantor Moreno Veloso, filho de Caetano, e a cantora Céu. Eu já escrevia em meu bloco invisível que, apesar do carisma de Maíra, Moreno precisava de algo mais para se aproximar da interpretação que Aqui e Agora merecia e que Céu deveria rever seriamente a voz que colocou em Gaivota, essa linda canção que Gil fez para Ney Matogrosso e que acabou ficando de fora de Refavela. Eu já espumava, para ser bem sincero, pensando na crítica do dia seguinte, esse encurralamento do caráter, esse eterna escolha do fazer amigos com inverdades do bem versus a solidão dos honestos consigo mesmos. “Eu não gostei daquilo”, ouvi depois de críticos amigos. “Mas quem vai escrever isso amanhã?”, perguntei a mim mesmo.

    O que seria uma crítica musical acaba com a chegada ao palco de Gil. Não me lembro mais das músicas que ele cantou porque, para mim, não era mais o que me interessava. Gil passa por cima dos egos de artistas e de críticos de artistas com todas as toneladas que um homem pode atingir quando ele faz o melhor que pode fazer em cada dia de sua vida. Não estou falando do artista, mas do homem. Do pai do carinhoso Bem, seu guitarrista; do avô do pequeno Dom, seu percussionista; do sogro da dedicada Ana Cláudia, sua backing vocal; do amigo de Domenico, seu baterista; do ‘tio’ de Moreno Veloso, seu faz tudo. O que mais me emocionou foi aquela família reunida ao lado de alguém que lhes parece essencial não por ser o artista que é, mas por ser o homem que é. O avô que corre atrás do neto no palco imitando um monstro de voz grave assustadora, que brinca com os filhos errando datas de nascimento, que canta parabéns a você para Maíra e que se emociona ao final, quando um senhor da plateia se aproxima da beira do palco identificando-se como seu antigo chefe dos tempos em que, antes de ser cantor, Gil trabalhava como funcionário da Gessy Lever. “Vicente! Você?” De sorriso grande, Gil trocou os aplausos que aguardavam na ponta das palmas da plateia por aquele reencontro de 50 anos com Vicente, seu último chefe. “E sabem o que ele disse naquele tempo?”, falou, “que era para eu fazer a minha música, que ele me daria uma indenização para eu sair da empresa com algum dinheiro.” O Gilberto Gil artista é incrível mas o homem, acreditem, é muito maior.


    Estadão - Blogs - Julio Maria
  • Refavela - Gilberto Gil

    09/09/2017

    Em 2017 o disco Refavela lançado por Gilberto Gil em 1977 completa 40 anos. O cantor realiza turnê comemorativa com shows em cinco capitais brasileiras. A apresentação conta com direção do seu filho Bem Gil e a participação especial de Moreno Veloso, Céu e Maíra Freitas. Conheça abaixo a história da canção que dá nome ao disco, em depoimento concedido por Gilberto Gil para o seu site oficial:

    "Em 77, eu fui participar do Festac, festival de arte e cultura negra, em Lagos, na Nigéria, onde reencontrei uma paisagem sub-urbana do tipo dos conjuntos habitacionais surgidos no Brasil a partir dos anos 50, quando Carlos Lacerda fez em Salvador a Vila Kennedy, tirando muitas pessoas das favelas e colocando-as em locais que, em tese, deveriam recuperar uma dignidade de habitação, mas que, por várias razões, acabaram se transformando em novas favelas.

    Para abrigar os 50 mil negros do mundo inteiro que para lá acorreram, tinha sido construída uma espécie de vila olímpica com pequenas casas feitas com material barato e um precário abastecimento de água e luz, que reavivou em mim a imagem física do grande conjunto habitacional pobre. Refavela foi estimulada por este reencontro, de cujas visões nasceu também a própria palavra, embora já houvesse o compromisso conceitual com o re para prefixar o título do novo trabalho, de motivação urbana, em contraposição a Refazenda, o anterior, de inspiração rural.

    A esses fatores se somaram outros, locais: a mobilidade, por vezes difícil, outras vezes facilitada, dos negros cariocas na relação morro-asfalto e o movimento da juventude black-Rio, que se instalava propondo novos estilos de participação na questão da negritude no Brasil e no mundo, com mais atividade cultural e absorção de elementos do discurso e da luta negra da América e da África.

    A dificuldade com que a história tem-se defrontado para proporcionar o verdadeiro resgate da cultura e da natureza dos negros, exatamente pela manutenção reiterada da sua condição paupérrima; a coisa da 'miséria roupa de cetim', da 'Belíngia' (Bélgica/Índia), esse binômio de disparidades - Refavela é sobre isso. A informação forte da música está nas duas primeiras estrofes; perto delas, o resto é ornamento."


    Single do Dia
  • Mart’nália apresenta o show “+ Misturado”, dia 16, no Auditório Araújo Vianna

    09/09/2017

    Mart’nália traz a Porto Alegre seu mais recente trabalho, o show + Misturado, dia 16 de setembro, às 21h, no Auditório Araújo Vianna (Av. Osvaldo Aranha 685), com realização da É Show Produtora, de Florianópolis, e da Opus Promoções. Os ingressos já estão à venda pelo site Ingresso Rápido, e custam entre R$ 25,00 (meia entrada no setor Alta Lateral) e R$ 150,00 (inteira no setor Plateia Gold).

    A apresentação tem no repertório músicas do compositor do Congo Lokua Kanza, de Caetano Veloso, Capinan, Geraldo Azevedo, Gilberto Gil, Zé Ricardo, Lupicinio Rodrigues e Zélia Duncan, entre outros, do seu último CD, + Misturado, lançado em janeiro desse ano. E reúne grandes sucessos de seus outros dez álbuns, que têm Martinho da Vila, Pedro Luis, Arlindo Cruz, Chico Buarque, Moska, Noel Rosa. Na discografia, a cantora tem DVDs gravados em Berlim e na África.

    No show, a cantora toca cavaco, violão e guitarra, acompanhada dos músicos Humberto Mirabelli (violão, guitarra e vocal), Kiko Horta (teclado e sanfona), Rodrigo Villa (contrabaixo), Macaco Branco (percussão), Theo Zagrae (bateria) e Analimar Ventapane (vocal).

    A própria compositora assina a direção musical (com Humberto Mirabelli) e o roteiro (com Marcia Alvarez, responsável também pela cenografia e produção). O figurino é de Beto neves (Complexo B).


    Jornal no Palco