notícias

  • Mart'nália: Menina do Rio, mulher do samba

    10/08/2016

    Filha do sambista Martinho da Vila e da cantora Anália Mendonça (seu nome é uma mistura dos nomes dos pais), ela nasceu no bairro de Pilares, Zona Norte do Rio de Janeiro. Desde criança é pura música. Cresceu com Clara Nunes e João Donato em sua sala. Tem memórias maravilhosas da infância, como quando Martinho da Vila tocava um reco-reco cor de rosa numa roda de samba e aparecia como um passe de mágica na televisão.

    Mart'nália nasceu no berço de ouro do samba e também teve o privilégio de se tornar apadrinhada de grandes nomes. Caetano Veloso foi o diretor artístico de seu álbum, 'Pé do Meu Samba', e Maria Bethânia produziu 'Menino do Rio'.

    Atualmente, faz shows por todo o país e turnês internacionais pela Europa e África. Nunca esqueci quando ouvi 'Pé do Meu Samba', faixa título que ela interpreta ao lado de Caetano, composta por ele para ela.

    Vi Mart'nália pela primeira vez na casa da minha Tia Ofélia, mãe da inesquecível Eliana Pittman a quem chamo de prima por aproximação amorosa familiar. Fui muito amigo de Tonico, seu irmão, quando passava férias no Rio na casa da minha tia.

    Depois, nos encontramos várias vezes pelo Rio, pela vida, temos muitos amigos em comum, como a delícia baiana Keka Oxossi, que amo muito, e agora o samba, uma paixão que despertei no segundo álbum que estou fazendo.

    Mart'nália é multimídia e provou issso ao ser escolhida por Miguel Falabella para integrar o elenco da série exibida na Rede Globo, Pé na Cova, que começou a ser transmitida em janeiro de 2013.

    Ela faz o papel da mecânica "Tamanco", que vive um romance com a stripper virtual "Odete Roitman" (risos).

    Mart'nália arrumou um tempinho em sua agenda lotada de shows até o fnal do ano para abrir seu Camarim, e foi muito divertido!

    Amore, obrigado pela entrevista, ri muito aqui... (risos)

    No seu Camarim pode ser o de verdade ou uma analogia ao seu íntimo:

    O que rola?

    Cerveja muito gelada.

    O que não rola?

    Bebida destilada.

    O que você ouve?

    Tem sempre um dos meus músicos me mostrando algo.

    O que você está lendo no momento?

    Revista em quadrinhos.

    Alguma história marcante de Camarim?

    A presença dos amigos é sempre marcante e carinhosa.

    E com fãs, alguma história mais louca?

    Em Belo Horizonte, enquanto eu dava autógrafos e fazia fotos, roubaram a minha roupa no cabide (risos). A roupa todinha do show.

    Você tem algum ritual antes de entrar no palco?

    Ir no banheiro… número 2 (risos).

    Quais são suas maiores referências na música?

    Montown.

    Qual a sua música preferida da vida?

    As que são referências.

    Se você nao fosse cantora, o que você seria?

    Surfista.

    Quando a música se tornou, de vez, seu caminho principal?

    2002, com o CD Pé do Meu Samba.

    Se você gravasse um álbum interpretando só músicas de um outro artista, quem você gravaria?

    Vinicius de Moraes.

    Qual o show mais memorável da sua carreira?

    Menino do Rio e Não tente compreender.

    Você pode adiantar alguma coisa do seu próximo trabalho?

    Vou gravar Geraldo Azevedo, regravar uma música do Caetano e uma do meu pai.


    Rodrigo Pitta , Diário de São Paulo